Quer estar a par das novidades imobiliárias em Braga?

Subscreva a nossa newsletter e receba primeiro no seu email os mais recentes imóveis à venda!

Ao subscrever a newsletter está a concordar com a nossa Política de Privacidade.

O Gerês, concelho de Terras de Bouro, sempre simbolizou a harmonia entre o Homem e a Natureza, numa partilha permanente de atividades e sentimentos, das gentes aliadas à Natureza das inóspitas montanhas de granito moldadas pelo tempo. As águas correm cristalinas pelos ribeiros e o ar puro envolve a grande diversidade da fauna e da flora proporcionando um movimento contínuo de calma e prazer.

 

As aldeias mais antigas mantêm-se afastadas da vida moderna. Nesses sítios, as vacas ainda são levadas por mulheres vestidas de preto pelas ruas e os criadores deixam os seus animais pastar durante vários meses.

 

Nas zonas mais isoladas do parque ainda vivem alguns lobos, javalis, texugos, lontras, veados e cavalos selvagens.

 

Para além dos animais selvagens, aqui também vivem espécies domesticadas que são mais fáceis de observar como é o caso das vacas, cabras e espécies de ovinos autóctones e ainda o rústico Castro Laboreiro, um cão pastor.

 

Além de descobrir as aldeias congeladas no tempo, ao visitar o Parque Nacional da Peneda-Gerês poderá também admirar as magnificas paisagens, graças aos numerosos miradouros, mergulhar nas águas cristalinas das suas cascatas, apreciar os vários monumentos com muitos séculos de história e mesmo relaxar numa vila termal!

 

Para te ajuda a planear uma visita ao Parque Nacional da Peneda Gerês, apresentamos-te uma compilação de locais a não perder, trilhos pedestres, gastronomia e alojamento.

As 5 portas de entrada no Gerês

Existem 5 portas de entrada no Gerês, cada uma delas dedicada a uma temática. Em todas elas se pode obter muitas informações valiosas para desfrutar do melhor do Gerês.

  • Porta de Mezio (Arcos de Valdevez):dedicada à Conservação da Natureza e da Biodiversidade
  • Porta de Lamas de Mouro (Melgaço):dedicada à História e Ocupação do Território
  • Porta de Montalegre:dedicada à Paisagem
  • Porta do Lindoso (Ponte da Barca):Geologia e Água
  • Porta de São João do Campo (Terras de Bouro):História e Civilizações

Inverno, Outono, Verão ou Primavera?

Qualquer altura é boa para visitar o Gerês, dependendo também do gosto de cada um.

O Verão pode ser um pouco agressivo, principalmente na montanha, devido ao calor intenso. A confusão é também maior e em qualquer parte do Parque Nacional encontram-se grandes grupos de turistas, sendo complicado estacionar e encontrar um lugar vago num restaurante para almoçar. 

O Inverno costuma ser muito rigoroso, não tanto pela neve, até porque dá para fotografias excelentes, mas a chuva e principalmente o nevoeiro são desencorajadores e até potencialmente perigosos para quem faça algum trilho pedestre nessas condições.

Portanto, talvez o Outono e a Primavera sejam as alturas ideais para visitar o Gerês, para que possas desfrutar de tudo o que este tem para te oferecer.

Alojamento

São perto de 500 unidades de alojamento dentro do Parque Nacional, distribuídas por alojamento local, hotéis, apartamentos e villas. Existem também alguns parques de campismo.

Para uma melhor pesquisa deixamos-te aqui este link onde podes encontrar tudo sobre os alojamentos do Gerês: https://www.topgeres.pt/

 

Contudo também podes ver aqui algumas das nossas sugestões: https://carlomonteiro.pt/pt/blog/fugas-de-fim-de-semana-no-geres

Locais a visitar

  • Aldeia de Pitões das Júnias

Uma das mais típicas aldeias de Montalegre, Pitões das Júnias destaca-se pela sua implantação junto ao Gerês e pelo centro histórico bem cuidado. Não deixes de provar os produtos locais, desde as carnes ao famoso pão de Pitões.

 

  • Mosteiro de Pitões das Júnias

As origens do Mosteiro de Pitões das Júnias parecem remontar ao século IX, onde funcionaria como um ermitério. Posteriormente, passou para a Ordem Beneditina até à sua extinção em 1834. Está classificado como Monumento Nacional.

 

  • Torre do Boi de Travassos

Este curioso e singular monumento situado no lugar de Travassos, representa a importância do boi, como símbolo do Barroso e da sua força espelhada nas inúmeras vitorias que obteve nas chamadas "chegas de bois".

 

  • Albufeira de Paradela

A Albufeira de Paradela está situada no limite do parque nacional, marcando o final do território mais rural e o início da paisagem mais inóspita. Foi concluída em 1956.

 

  • Miradouro de Pedra Bela

Este miradouro consta em todos os roteiros de turismo do Parque Nacional. Não percas a oportunidade de poder desfrutar de uma panorâmica privilegiada sobre todo o vale do Rio Gerês até à Barragem de Caniçada

 

  • Albufeira da Caniçada

Quem entra no Gerês pelo lado sul em direção à vila termal do Gerês, encontra a enorme massa de água conhecida por Albufeira da Caniçada. Esta barragem divide os concelhos de Vieira do Minho e Terras de Bouro e foi construída em 1956. É aqui que se juntam muitos turistas para a prática de desportos de água, como o jetski e a canoagem.

 

  • Vila do Gerês

A vila do Gerês é muito conhecida pelas águas termais. É aqui que estão concentradas as unidades hoteleiras e os restaurantes. 

 

  • Portela do Homem

A Portela do Homem é a zona fronteiriça com Espanha e zona de passagem da famosa estrada romana conhecida por Geira, que ligava Bracara Augusta (Braga) a Asturica Augusta (Astorga).

 

  • Mata da Albergaria

É uma das áreas mais bonitas do Parque mas também das mais sensíveis a nível ambiental. A Mata da Albergaria é um bosque onde predominam os carvalhos e outras espécies de grande valor paisagístico e natural. Dada a fragilidade deste ecossistema, a sua visita é condicionada, sobretudo de acesso automóvel.

 

  • Minas dos Carris

Este antigo complexo mineiro, situado a quase 1500m de altitude, é verdadeiramente fascinante. Não só pela sua implantação, no alto da serra, dominando uma vasta paisagem que inicia no Prado das Negras, mas também pela dinâmica económica que criou desde a sua origem na década de 40, em plena 2ª Guerra Mundial. As minas atingiram o auge durante os anos 50, época de grande procura do volfrâmio, até ao seu declínio no final dos anos 70.

 

  • Albufeira de Vilarinho da Furna

A Albufeira de Vilarinho da Furna localiza-se em Terras de Bouro e forma um belo espelho de água alimentado pelo rio Homem. A sua construção em 1971 submergiu a aldeia antiga e comunitária de Vilarinho da Furna. Quando o nível das águas está mais baixo, é possível observar as ruínas das habitações, muros e caminhos.

 

  • Santuário do S.Bentinho da Porta Aberta

Santuário de S. Bentinho da Porta Aberta, situa-se em Rio Caldo, concelho de Terras de Bouro no limite do Parque da Peneda Gerês.

A história deste templo remonta aos meados do séc. XVII, onde existia neste local uma capela que possuía um alpendre que tinha sempre as portas abertas, servindo de abrigo a quem por ali passava, originando assim a designação de S. Bentinho da Porta Aberta.

 

  • Aldeia do Lindoso

É o castelo e o magnífico conjunto de espigueiros que fazem do Lindoso, uma das aldeias mais conhecidas do Norte de Portugal. Os espigueiros concentram-se em volta de uma única eira, espelhando desta forma a importância do comunitarismo, muito típico das aldeias de montanha.

 

  • Albufeira do Lindoso

Foi em 1992 que foi concluída a Barragem do Alto Lindoso, infraestrutura que segura as águas do Rio Lima. Este sistema é um dos maiores produtores de energia de Portugal e está situado entre os concelhos de Ponte da Barca e Arcos de Valdevez.

 

  • Aldeia do Soajo

A aldeia do Soajo localiza-se na parte sudeste do concelho de Arcos de Valdevez. Os principais pontos de interesse a visitar são o Pelourinho e o conjunto de 24 espigueiros, construídos sob um enorme rochedo. 

 

  • Mezio

Finda a passagem no Soajo, pode visitar o Núcleo Megalítico do Mezio (uma área arqueológica constituída por várias mamoas, entre as quais a famosa Anta do Mezio) e o Centro de Interpretação do Mezio, que contém informações sobre o património cultural e biodiversidade da região.

 

  • Santuário da Senhora da Peneda

É num cenário verdadeiramente pitoresco que se encontra o Santuário da Peneda. Este templo construído durante os séculos XVIII e XIX, foi implantado no vale encaixado do Rio Peneda, onde no seu topo, se ergue destacada a Fraga da Meadinha, um enorme morro granítico que desafia a perícia dos amantes da escalada.

O seu desenho foi inspirado no Santuário do Bom Jesus de Braga onde é claramente visível a semelhança entre as igrejas e os escadórios.

 

  • Pântano Chã do Monte

Subindo pelo Trilho da Peneda encontramos o Pântano da Chã do Monte, que funcionou como uma minihidríca para produção de energia para esta região. Permite ainda conhecer a Fraga da Meadinha. Este é um bom local para fotografar o contraste entre a água e os rochedos.

 

  • Miradouro do Vale da Peneda

Miradouro situado na estrada que liga o Soajo à Gavieira e que oferece ao viajante vistas fabulosas sobre o Vale da Peneda.

 

  • Aldeia de Castro Laboreiro

Um passeio pelo centro histórico é uma boa forma de aproveitar o tempo em Castro Laboreiro. Percorre os arruamentos antigos e aprecie o núcleo de casas construídas em pedra de cantaria.

 

  • Castelo de Castro Laboreiro

O castelo de Castro Laboreiro está classificado como Monumento Nacional, não só pela sua importância histórica, mas também pelo seu impacto visual. A origem desta fortificação terá sido contemporânea do reinado de D, Afonso Henriques, no contexto de defesa das fronteiras do reino. Durante séculos sofreu vários ataques dos reinos de Leão e Castela, motivo pelo qual se tornou necessário reforçar e ampliar a sua linha de muralhas.

Cascatas

  • Cascata do Arado

É provavelmente a cascata mais famosa do Gerês e localiza-se no Rio Arado, freguesia de Vilar da Veiga, Terras de Bouro. Este é um dos locais mais visitados pelos turistas do Parque Nacional, sobretudo na Primavera e no Verão. Se gostar de caminhadas, suba a colina e desfrute da paisagem do Vale Teixeira.

 

  • Cascata da Portela do Homem

Ao longo do Rio Homem são visíveis várias quedas de água e a Cascata da Portela do Homem é uma das mais fotogénicas. Na época de maior calor são muitos os que aqui se refrescam nestas águas límpidas.

 

  • Cascata de Cela Cavalos

Localizada entre as aldeias de Cela e Lapela, a Cascata de Cela Cavalos é uma queda de água com lagoa na Ribeira das Cavadas. Este é um local muito tranquilo, ideal para relaxar. Também existem alguns moinhos antigos nas imediações da cascata.

 

  • Cascata de Leonte

A Cascata de Leonte é uma queda de água localizada nas proximidades de Caldas do Gerês, freguesia de Vilar da Veiga. Esta queda de água encontra-se localizada a 2 km da Portela do Homem junto à ponte e as suas águas provêm do ainda incipiente rio Homem dentro do Parque Nacional da Peneda-Gerês.

Forma-se com o cair das águas do alto de uma penedia de rocha granítica. Depois da queda as águas dão forma a uma serena lagoa.

 

  • Cascata de Fecha de Barjas

As Cascatas de Fecha de Barjas, por vezes designadas Cascatas do Taiti, são uma queda de água localizada nas Caldas do Gerês, freguesia de Vilar da Veiga.

É uma cascata de alta montanha cujas águas são provenientes do Rio Arado e onde só se pode chegar por caminhos pedestres. Esta queda de água termina numa calma e serena lagoa com margens de areia e águas cristalinas que representa um refúgio para o difícil caminho.

 

  •  Cascata da Peneda

A Cascata da Peneda é uma queda de água que se localiza na Serra da Peneda, Parque Nacional da Peneda-Gerês, freguesia de Gavieira. Esta cascata é visível de grande distância devido à espuma branca que as suas águas fazem na queda. A ribeira corre com fúria e envolta em grande ruído, apresentado a queda-de-água um desnível de 30 metros de altura.

 

  • Poço Azul

Afluente do rio Vouga, a ribeira da Landeira é a responsável por banhar este poço com as suas águas de transparência sem igual e puras dando um toque azulado ao poço. Apesar de a água ali se encontrar fria é impossível resistir a um mergulho nesta paisagem. A água corre pelas rochas graníticas que há mais de mil anos são erodidas por esta. A queda de água forma o local ideal para os seus mergulhos uma vez que se parece com uma piscina. Pode ainda observar o melro-d’água que se alimenta dos macroinvertebrados que ali se encontram.

 

  • Cascata das 7 Lagoas

 Perto de Cabril, no Parque Nacional da Peneda Gêres encontra uma das mais fantásticas cascatas que origina uma cadeia de lagoas, a Cascata das 7 Lagoas. Estão situadas ao longo do rio que nasce na serra e atravessa Cabril. São dotadas de uma incrível paisagem envolvente que contrasta com a água pura, límpida e cristalina. É um local de perfeita comunhão com a natureza e existindo ainda uma diversidade de lagoas para todos os gostos.

 

  • Cascata de Pitões

Os seus 30 metros de altura, fazem-na numa das mais belas quedas de água de todo o Parque Nacional. O acesso à Cascata de Pitões é feito por passadiços de madeira, tornando o passeio numa caminhada muito agradável.

Trilhos

  • Trilho da Vezeira

O Trilho da Vezeira é um dos trilhos mais conhecidos do Gerês e aquele que exige mais preparação física, uma vez que tem um percurso superior a 20 km e um desnível que varia entre 500m e 1260m. O trilho começa na aldeia de Fafião e sobe em direção a Porta Ruivas, Sombrosas e Fichinhas passando pelos prados da Touça, Conho e nas míticas Rocalva e Roca Negra. 

 

  • Trilho do Rio

O Trilho do Rio situa-se, em parte, dentro do Parque Nacional e possui uma extensão aproximada de 22 km. Com início e fim em Fiães do Rio, este percurso passa por várias aldeias como Paredes, Covelães, Travassos e Frades, mostrando o melhor que existe nestes povoados: a arquitetura rústica e claro, os seus habitantes.

 

  • Trilho dos Prados da Messe

É na Portela de Leonte que começa o Trilho dos Prados da Messe. Este percurso desenvolve-se em pleno Gerês, passando pelos Prados do Vidoal, Lomba do Pau, Conho e da Messe, terminando na Mata da Albergaria. Trata-se de uma caminhada com um desnível bastante acentuado pelo que, é importante ter uma boa forma física. 

 

  • Trilho Cidade da Calcedónia

Com inicio na aldeia de Covide, o Trilho Cidade Calcedónia leva-nos a uma viagem no tempo, mais concretamente a um castro da Idade do Ferro com possível ocupação romana, conhecido por Calcedónia. É um percurso com apenas 7 km de extensão, mas com um nível de dificuldade superior devido à subida íngreme em direção à Calcedónia.

 

  • Trilho Moinhos e Regadios Tradicionais 

Percurso pedestre com 9 km de extensão que percorre as aldeias rurais de Lagoa, Sequeirós e Pergoim, pertencentes à freguesia de Chamoim.

 

  • Trilho da Serra Amarela

Trilho pedestre que percorre a Serra Amarela ao longo de 35 km. O nível de dificuldade é bastante elevado face à sua extensão e exigência física, portanto aconselha-se a fazer o percurso em 2 dias. Um dos pontos altos da caminhada é a passagem pela Albufeira de Vilarinho da Furna.

 

  • Trilho dos Currais

Espinheira, Carvalha das Éguas e Lomba do Vidoeiro, são os currais visitados neste percurso com cerca de 10 km de extensão. O trilho tem um formato circular e inicia no lugar do Vidoeiro, perto da vila do Gerês.

 

  • Trilho do Castelo

Percurso com aproximadamente 2km que nos leva até ao Castelo de Castro Laboreiro. Apesar de ser um percurso de curta duração vale pela paisagem dominada por belos afloramentos rochosos e pela imponência do castelo e as muralhas medievais.

Restaurantes

A oferta de restaurantes nesta região é bastante diversificada, estando a sua maioria localizados na vila do Gerês.

  • Castro Laboreiro:

Miradouro do Castelo, Vila, 4960-061 Castro Laboreiro, Melgaço. (bacalhau com broa, posta ou cabrito assado)

  • Gerês

Adega do Ramalho,  Assureira, nº 21, Vilar Da Veiga, 4845-064 Gerês

(Dobrada ou cabrito assado)

 

Churrasqueira Parque,  R. Eng. José Lagrifa Mendes 12, 4845-081 Gerês

(Grelhados, saladas)

 

Restaurante Geresino,  Rua Tude de Sousa 21,4845-081,Gerês, 4845-081 Gerês

(Posta ou bacalhau na brasa)

 

Restaurante Casa Capela,  R. Dr. Manuel Gomes de Almeida 73, 4845-067 Gerês

(Cabrito no forno)

  • Covelães 

Restaurante Monte Alegre,  Rua do Casal ao Barreiro 5470-091 Covelães, Montalegre

(Cozido à portuguesa, vitela, costeleta de novilho)

 

  • Cabril

Restaurante Ponte Nova, Rua 25 de Abril, N° 30 , 5470-013 Cabril, Montalegre. 

(Cozido à portuguesa, vitela, costeleta de novilho)

 

  • Pitões das Júnias

Restaurante Dom Pedro, Largo Toleiro 4, 5470-370 Pitões das Junias, Montalegre.

(Cozido à portuguesa, posta barrosã) 

 

Restaurante Casa do Preto,  Largo Salgueiro 3, 5470-370 Pitões das Júnias, Montalegre. 

(Cozido à portuguesa, vitela, costeleta de novilho) 

 

 

 

Fontes: 

gotoportugal.eu

vagamundos.pt

espiritoviajante.com

vortexmag.net

iatiseguros.pt

evasoes.pt

olhares.sapo.pt

greentrekker.pt

 

29 de Janeiro de 2020

Catarina MirandaAssistente Administrativa

Exótico, selvagem, revitalizante e inspirador - conhece aqui o Gerês!

Quer estar a par das novidades imobiliárias em Braga?

Subscreva a nossa newsletter e receba primeiro no seu email os mais recentes imóveis à venda!

Ao subscrever a newsletter está a concordar com a nossa Política de Privacidade.
REDES SOCIAIS:

Está com dificuldades? Nós ajudamos!